Sem medo de ser grande

Bigness é um emblemático artigo que Rem Koolhaas escreveu em 1994 problematizando os efeitos das megaedificações que apareciam pelo mundo. Uma década depois, Bjarke Ingels, ex-funcionário de Koolhaas no OMA, fundou um escritório na Dinamarca com o nome BIG. Quando ele e os sócios lançaram o livro-manifesto (em quadrinhos) intitulado Yes Is More, ficou claro que não havia coincidências fortuitas entre essas nomenclaturas. Superar o motto modernista “less is more”, eternizado por Mies van der Rohe, deixava patente as ambições do BIG, com projetos cada vez maiores, para clientes cada vez mais poderosos, desenvolvidos por cada vez mais sócios (hoje são 12).

Um deles é Kai-Uwe Bergmann, um dos responsáveis pela sede nova-iorquina do BIG. Após passagem pelo Rio em julho, onde foi um dos palestrantes do Rio Academy, ele conversou com a Bamboo. Sua fala consegue articular múltiplas narrativas em voga: da sustentabilidade que cunhou de hedonista, passando pelo respeito às especificidades de cada lugar até o cuidado com a dimensão humana, tudo pragmaticamente inserido em gigantescas arquiteturas. Para o BIG, bigness não parece ser um problema.

Leia na íntegra na Bamboo 51 (setembro 2015)
http://bamboonet.com.br/posts/responsavel-pela-sede-nova-iorquina-do-escritorio-dinamarques-big-kai-uwe-bergmann-conversou-com-a-bamboo-sobre-os-projetos-cada-vez-maiores-desenvolvidos-para-clientes-cada-vez-mais-poderosos

Anúncios