Por um futuro não genérico

O OMA tem pautado a arquitetura global nas últimas três décadas. Rem Koolhaas, o arquiteto fundador do Office for Metropolitan Architecture, vociferou “fuck context”, descreveu as cidades genéricas e nos atentou para os junkspaces (espaços-lixo) que estão ao nosso redor. Do alto de seus 70 anos, Koolhaas atualmente compartilha o escritório com brilhantes arquitetos, dentre os quais Shohei Shigematsu é o sócio responsável pela sede de Nova York e pelos projetos para a América Latina. Do arquiteto japonês surgem as novas ideias do OMA para os próximos anos, reflexões sobre o papel dos arquitetos, inovações para as cidades, projetos que fogem do genérico. A Bamboo entrevistou Shigematsu para saber o que se realizará no futuro da arquitetura e o que não se realizará no porvir paulistano, isto é, o cancelado projeto do OMA para um edifício de uso misto na zona sul de São Paulo. Apesar disso, como estaremos em 2030?

Leia na íntegra na Bamboo 52 (outubro 2015)
http://bamboonet.com.br/posts/socio-do-oma-shohei-shigematsu-condena-os-edificios-genericos-e-fala-sobre-o-papel-do-arquiteto-em-2030-a-motivacao-para-mudar-o-sistema-nao-esta-so-vinculada-ao-dinheiro-mas-a-melhora-da-vida

Anúncios