Ação Coletiva

Causou alvoroço no meio artístico inglês o anúncio, em maio, de que um coletivo de arquitetos e designers concorreria ao prêmio Turner, a principal láurea da arte britânica, cujo vencedor, anunciado no dia 7 de dezembro, será agraciado com mais de R$ 140 mil. Nos 31 anos de existência da premiação, nunca uma proposta de natureza arquitetônica tinha sido sequer indicada. Entretanto, como o jurado Alistair Hudson afirmou, “em uma época em que tudo pode ser arte, por que não um conjunto habitacional?”.

Ele se referia ao Granby Four Streets, projeto do coletivo londrino Assemble, composto por 18 pessoas na faixa dos 30 anos. Abandonada pelo poder público na década de 1980, essa área de Liverpool ficou sem vitalidade por anos, depois que famílias e comerciantes desocuparam casas e lojas. A marcha de progressiva degradação reverteu-se nos últimos quatro anos, quando a associação de moradores tomou para si a incumbência de transformar as quatro ruas de Granby.

Desde estão, estão reformando dez residências vazias que antes pertenciam ao munícipio, remodelando espaços públicos e qualificando moradores (a mão-de-obra para essas transformações) e comerciantes (os empreendedores que multiplicarão oportunidades de trabalho a longo prazo). Para colocar tudo isso em prática, era necessária uma equipe que organizasse essas intenções, permanecendo prolongadamente no bairro para conversar com cada morador, treinar trabalhadores e pôr a mão na massa. Esse foi o trabalho do Assemble.

Leia na íntegra na Bamboo 54 (dezembro 2015)
http://bamboonet.com.br/posts/conheca-o-assemble-grupo-de-arquitetos-e-designers-ingleses-que-ao-revitalizar-espacos-urbanos-abandonados-esta-atraindo-os-olhares-da-cena-artistica-europeia

Anúncios