Rio Olympic legacy: A cause for concern

Qual o sentido da existência da cidade do Rio de Janeiro? Esta pergunta era o subtexto (repleto de preocupação) de suas análises urbanas na segunda metade do século XX. De certa maneira, o Rio perdera sua razão de ser em 1960, quando a capital federal foi transferida para Brasília, a dita cidade da esperança. Ao Rio, sobrou uma desesperança crescente nas décadas seguintes: a violência urbana, empresas e empreendedores transferindo-se para São Paulo e outras cidades da América Latina, o crescimento desordenado, construções irregulares por toda parte, espaços urbanos e uma arquitetura local cada vez mais medíocres. Restou o epíteto ufanista “Cidade Maravilhosa”, cantado como um mantra para a manutenção do orgulho carioca de ser uma cidade implantada em território naturalmente esplendoroso, mas fato é que o Rio tornara-se um balneário turístico decadente com perspectivas diminutas.

_

Leia em inglês na revista e no site da Architectural Review (junho 2015)
http://www.architectural-review.com/opinion/rio-olympic-legacy-a-cause-for-concern/8683241.article?blocktitle=Yesterday&contentID=13371

Anúncios